28 de set de 2013

Dom Claudio Maria Celli celebra o dia de São Gabriel, padroeiro dos comunicadores

O Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações, Dom Claudio Maria Celli, presidiu na manhã de sábado, 28, uma missa na Capela da Anunciação, na sede da Rádio Vaticano. O arcebispo foi convidado a celebrar com os funcionários a festividade do Padroeiro, o arcanjo São Gabriel, que a Igreja recorda no dia 29 de setembro.

O arcebispo Celli iniciou a homilia questionando sobre a existência dos anjos e fazendo uma reflexão baseada no Catecismo, lembrando que as Escrituras afirmam que eles são uma ‘verdade de fé’. Santo Agostinho diz que “a palavra anjo designa o ofício, não a natureza; e o nome desta natureza é o espírito”. Ainda segundo o Catecismo, “em todo o seu ser, os anjos são servidores e mensageiros de Deus; são poderosos executores das ordens de Deus, prontos a dar voz à sua Palavra”.

Segundo Dom Claudio Maria Celli, esta é a referência para o nosso caminho, pois a reflexão do Catecismo tem para os comunicadores um significado ainda mais profundo, “porque somos servidores e mensageiros de Cristo e temos esta vocação como missão”

O arcebispo lembrou que o termo “vocação” vai além do profissionalismo: é uma realidade que exige uma dimensão de interioridade e um caminho pessoal muito mais profundo, pois não podemos ser simplesmente “técnicos da comunicação”.

“Nosso caminho profissional exige uma contemplação mais profunda, mais rica do mistério de Deus em nossas vidas. Somente assim podemos dar realmente aquilo que nasce de nossos corações”

Em seguida, o arcebispo citou a entrevista concedida pelo Papa Francisco à revista Civiltà Cattolica, em que ele se refere à “Igreja-hospital”, que acompanha os homens e mulheres que sofrem a solidão, a dificuldade de viver, de ir avante. Disse que nós, como Rádio do Papa, devemos expressar sempre proximidade a estas pessoas. 

“Nossa comunicação pressupõe uma eclesiologia que o Papa nos revela continuamente: lembremos os discursos feitos no Brasil, especialmente aos bispos: a Igreja que partilha, que caminha ao lado, que está perto. Creio que este aspecto deva ser ressaltado sempre em nossos programas”, frisou o Presidente das Comunicações do Vaticano.

Enfim, o arcebispo evocou Maria, a servidora da Palavra, e referindo-se à Capela da Anunciação, disse que “nosso caminho de servidores da Palavra e mensageiros de Deus deve encontrar Nela a inspiradora, aquela que nos acompanha, nos ampara; que em certos momentos nos consola, porque nem sempre é fácil entender o sentido do caminho e o sentido de nossa vocação”.


Fonte: Rádio Vaticano

Nenhum comentário:

Postar um comentário